Câmpus Pato Branco

Aprovada a abertura de novo curso de Engenharia no Câmpus Pato Branco

Na última reunião do COGEP (Conselho de Graduação e Educação Profissional da UTFPR) foi aprovada a abertura do curso de Engenharia Cartográfica e de Agrimensura no Câmpus Pato Branco.

O novo curso nasce da transformação do Curso Técnico Integrado em Agrimensura, de Nível Médio. “Este novo curso superior aproveita parte da expertise instalada no Câmpus Pato Branco em recursos humanos e estrutura física. A nova graduação em Engenharia Cartográfica e de Agrimensura tem relação direta com os cursos de Agronomia, Engenharia Civil e Engenharia de Computação, já ofertados no Câmpus”, destaca o diretor-geral, professor Idemir Citadin.

A carreira de engenheiro cartógrafo é uma carreira emergente, pois este profissional é habilitado para trabalhar tanto no meio rural quanto no meio urbano, visto que sua principal atribuição é a representação da superfície terrestre, seja para demarcação de terras e áreas de relevância, para a produção de mapas que servem de base para a gestão pública e também para a iniciativa privada. Com os avanços tecnológicos recentes, este profissional tem se tornado cada vez mais frequente nas frentes de trabalho relacionadas a gestão ambiental.

A oferta deste curso, segundo Citadin, “inova em trazer para a UTFPR Câmpus Pato Branco a formação nas recentes tecnologias de navegação por GPS, BeiDou, Galileu e suas interfaces com equipamentos agrícolas, da Construção Civil, da Cartografia, Geotecnia, entre outros. Essas interfaces sempre mediadas por sólido conhecimento em aplicativos e Engenharia de Computação”.

De acordo com informações da atual chefe do departamento Acadêmico de Agrimensura, professora Vaneza Andrea Lima de Freitas, o curso ofertará 44 vagas a cada processo seletivo, que deverá ocorrer anualmente. O turno será integral, porém nos períodos vespertino e noturno, permitindo assim que profissionais que já estejam atuando como técnicos agrimensores, ou mesmo em outros campos de atuação possam frequentar as aulas. O curso também é inovador em termos de uso da quantidade prevista em lei e nos regulamentos da própria UTFPR de carga horária em ensino remoto. Cerca de 30% da carga total é nesta modalidade. “Organizamos a matriz curricular desta forma para facilitar o acesso de quem já trabalha na área, mas também porque o perfil das pessoas que se interessam por este campo do trabalho é condizente com este modelo”, destacou Vaneza.

Embora o profissional de Engenharia Cartográfica seja bastante demandado, especialmente se considerarmos que o Brasil possui legislação que determina que até 2023 todos os imóveis rurais deverão ser georreferenciados e corretamente demarcados e que para a gestão urbana é fundamental a correção de limites e demarcações tanto de áreas públicas quanto privadas, ainda existem poucos cursos desta natureza no país.

Atualmente, em todo o território nacional, nas universidades federais, existem apenas 16 cursos de Engenharia Cartográfica em funcionamento, segundo dados obtidos na plataforma e-MEC. Em parte isso pode ser explicado pelo custo de aquisição dos equipamentos, base e dados e demais insumos necessários para a correta implementação do curso. Atualmente a cartografia baseia-se muito mais em ferramentas digitais do que em medição a campo propriamente dita. A abertura de um curso desta natureza requer a existência de equipamentos modernos, como drones de alta eficiência e VANTs (Veículo Aéreo Não Tripulado), além de bases digitais de imagens de satélites, entre outros. Neste sentido, ao longo dos últimos anos o Departamento de Agrimensura vem estabelecendo convênios de cooperação com vários órgãos, federais. Como fruto destes convênios o Departamento hoje possui elevada quantidade de equipamentos de última geração que permitirão a abertura de um curso de elevada qualidade. “Acredito que este novo curso presencial será atrativo aos jovens pela peculiaridade da temática e pela demanda crescente do setor produtivo para este tipo de tecnologia” salientou Citadin.

A atual diretora de Graduação e Educação Profissional do Câmpus Pato Branco, professora Nilvania Aparecida de Mello, informou que após a aprovação do curso junto ao COGEP, os próximos passos serão a inscrição do mesmo no Ministério da Educação (MEC), para que então o curso possa fazer parte do Sistema de Seleção Unificada (SISU). Esta segunda etapa só ocorrerá em outubro ou novembro de 2021, e a primeira turma do curso deverá iniciar as aulas em 2022. “Esperamos que até lá já tenhamos mais condições de normalidade nas atividades presenciais, por isso achamos prudente esperar”, informou a diretora.

O Curso de Engenharia Cartográfica e de Agrimensura será o 13º curso ofertado no Câmpus Pato Branco, juntamente com os cursos de Administração, Agronomia, Ciências Contábeis, Engenharia Civil, Engenharia de Computação, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Licenciatura em Letras Português-Inglês, Licenciatura em Matemática, Bacharelado em Química, Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Tecnologia em Manutenção Industrial.

RSS
Follow by Email
YouTube
YouTube